Director: João Carlos Vieira
Quarta, 28 Outubro 2020 - Periocidade diária
2019-12-03 17:00
Frederico Morais campeão do circuito de qualificação mundial

O atleta de Cascais, Frederico Morais, depois de se tornar no primeiro surfista luso a garantir um lugar nos Jogos Olímpicos, para “Kikas” o expoente máximo da sua carreira, é agora também o primeiro português a vencer o circuito de qualificação mundial.

"O trabalho e a persistência como a chave do sucesso, que pode demorar, mas que aparece", não se cansa de repetir Frederico Morais. Assim foi o ano de 2019. Frederico foi considerado “The Prince of Portugal” depois de provar e comprovar a consistência do seu surf e a vontade desmedida que tinha em fazer parte da Elite Mundial de Surf. Assim foi, em 2017 passou a fazer parte dos TOP 32 e foi o primeiro português a chegar à final de uma etapa do WCT. 

Mas o final do ano de 2018 não foi tão sorridente para o atleta, partiu para o Havai a precisar de resultados, mas dentro da Elite, uma lesão severa antes da última etapa enquanto treinava deixou Kikas muito aquém das capacidades de performance que tinha vindo a aproveitar. Frederico Morais ficou assim em 23º lugar no ranking do WCT, um lugar abaixo do necessário.

“As vitórias passam rápido, as derrotas levam meses a digerir” – afirmou Frederico várias vezes. O ano de 2019 teria que ser um ano de mais trabalho, mais motivação e persistência, não seria fácil: a recuperação da lesão até março e depois o regresso ao circuito de qualificação, era uma readaptação. A certeza estava restabelecida: Kikas queria voltar a fazer parte dos TOP 32.

O ano começou devagar, algumas modificações de treinos, até surgir a vitória da primeira etapa do WQS: Santa Cruz (3000 pontos), seguida dos Açores (6000 pontos) e por fim do Havai (10.000 pontos).  A qualificação para os Jogos Olímpicos acontece entre as etapas de Santa Cruz e Açores. Não era sequer um objetivo delineado porque não estava na equação, o surf só entrou para modalidade no ano em questão.

Para o atleta é uma outra dimensão, é o expoente máximo do desporto num todo, não de uma modalidade, não se trata de um troféu ou medalha, mas sim da oportunidade única de representar uma nação e Frederico não teme em exibir a bandeira portuguesa:

“Tem sido um ano de aprendizagens e conquistas. Umas mais pensadas outras em que investi todas as minhas capacidades.  Nunca escondi o orgulho que tenho em erguer a bandeira pelos circuitos mundiais de surf e a gratidão que sinto por todo o apoio que recebo. Representar Portugal em Tóquio é uma responsabilidade que carrego com muito orgulho.”

Agora, assinalamos um marco histórico no desporto português: Frederico Morais é o primeiro português a sagrar-se campeão mundial do circuito de qualificação. “não podia pedir melhor maneira de terminar o ano de 2019. Foi-me difícil o final do ano passado, não estava preparado para enfrentar a descida do CT nem a lesão, foquei-me no que queria, no tanto que queria regressar, em todos os anos que trabalhei, no meu esforço e no esforço de quem sempre esteve ao meu lado para que tudo fosse possível.”

“Tem sido o trabalho de uma vida, porque isto é a minha vida, a minha paixão. Não há sonhos impossíveis, não há metas inalcançáveis. Há mais trabalho, mais dedicação e mais vontade, o resto, a vida trás de volta. Eu sei que me repito, mas eu quero mesmo agradecer a todos o apoio, eu leio as mensagens, eu vejo as pessoas na praia, às vezes debaixo de chuva, e agarro-me a tudo isso, transformo tudo isso em mais motivação para retribuir o orgulho e a confiança que têm em mim."

Um obrigado especial aos meus patrocinadores, Billabong, Meo, Monster e Ericeira Surf & Skate, mais do que marcas, são parceiros que têm estado comigo em todas as alturas, sempre acreditaram, renovaram e arriscaram comigo, este título é também vosso”, afirma, a finalizar, Frederico Morais, o atleta da Linha de Cascais.

PUB

Coloque as Farmácias de Serviço no seu site