Director: João Carlos Vieira
Segunda, 14 Outubro 2019 - Periocidade diária
2019-08-10 12:16
Estados Unidos dominam Mundiais de Veteranos em Cascais e Oeiras

Os Estados Unidos esmagaram na 39.ª edição do ITF Seniors World Team Championships, o Campeonato do Mundo de Veteranos por Equipas da Federação Internacional de Ténis, em que Portugal foi 12.º entre os 23 países presentes, e que foi pela primeira vez realizado no nosso país, sob a organização da Federação Portuguesa de Ténis, em Lisboa, Oeiras e Cascais.

E se há um ano, nos Mundiais da Alemanha, os norte-americanos apoderaram-se de dois dos seis títulos em disputa nos escalões de mais de 50, 55 e 60 anos, em ambos os géneros, um ano depois o seu domínio cresceu de um terço para metade dos títulos, conquistando três das seis competições.

Em +50 femininos e +60 masculinos os jogadores da Stars and Stripes revalidaram os títulos, sagrando-se bicampeões mundiais. O outro sucesso foi nos +60 femininos, que em 2018 tinha ido para a Austrália.

«Somos um país muito grande, com milhões de pessoas a jogar ténis. Tratamos muito bem dos nossos seniores, temos muita competição, e a USTA (a poderosa federação norte-americana de ténis) dá-nos boas condições para virmos a estes campeonatos», explicou Carolyn Nichols, a carismática capitã e jogadora da equipa de +60, que é a atual n.º1 mundial no seu escalão e tem um site e um blog dedicados aos veteranos.

A Alemanha também revalidou o título em +55 femininos, sendo a superpotência do escalão, pois foi vice-campeã mundial em 2017 e campeã mundial em 2018 e 2019. A França impôs-se nos +55 masculinos e a Espanha nos +50 masculinos, com grande destaque para a presença do canhoto espanhol Francisco “Pato Clavet”, um antigo campeão da Taça Davis e duplo finalista do Estoril Open.

A participação portuguesa foi histórica por ter sido a primeira vez que a FPT organizou equipas em todos os escalões e apoiou essas representações nacionais; e porque Portugal não desiludiu, conseguindo lugares a meio da tabela. Não somos dos melhores, mas também não somos dos piores nesta competição de 130 equipas de 32 países.

Os resultados e as classificações finais e completos das seleções nacionais no último dia foram os seguintes, sendo que Portugal não jogou na Alice Marble Cup (F +60), e terminou em 10.º entre 17 países.  

Maria Esther Bueno Cup (Femininos mais de 50 anos), Portugal terminou em 16.º entre 20 países. Hoje, no Clube de Ténis do Estoril, A Dinamarca bateu Portugal por 2-1: Paula Silvestre-Charlotte Gralling, 6-3, 6-3; Janne Theilga-Isabel Pinto, 6-1, 6-2; Janne Theilga/Anette Nielsen-Deolinda Duarte/Isabel Pinto, 6-1, 6-4.

Fred Perry Cup (Masculinos +50), Portugal terminou em 14.º entre 26 países. Hoje, no CIF, A Grã-Bretanha bateu Portugal por 2-1: Paul Scullard-Nuno Mota, 6-2, 6-3; Nuno Delfino-Andrew Phillips, 6-2, 4-6, 6-0; Daniel Hall/Linden Hardisty-Vasco Graça/Pedro Martins, 6-4, 6-2.

Maureen Connolly Cup (F +55), Portugal terminou em 10.º entre 19 países. Hoje, no Estádio Nacional, a África do Sul bateu Portugal por 3-0: Anmarie Lotz-Isabel Costa, 7-5, 6-4; Ronel Louw-Luísa Gouveia, 6-2, 6-0; Karin Deltenre/Debra Hyde-Conceição Vinha/Paula Zoio, 4-6, 6-3, 11/9, salvando 1 match-point.

Áustria Cup (M +55), Portugal terminou em 12.º entre 23 países. Hoje, no Estádio Nacional, Portugal bateu a Roménia por 3-0: João Freitas-Ovidiu Petrescu, 6-1, 6-4; Paulo Travassos-Octavian Mustareata, 7-6 (7/3), 6-1. A Roménia abdicou dos pares.

Von Cramm Cup (M +60), Portugal terminou em 17.º entre 26 países. Hoje, no Estádio Nacional, Portugal bateu o Canadá por 2-1: Vítor Pereira-David Fairbotham, 6-2, 6-0; Cary Wilson-José Alberto Pereira, 6-3, 6-1; Manuel de Sousa/Vítor Pereira-Patrice Rousso/Richard Viau, 6-2, 6-1.

Sendo impossível fazer uma análise ao que fizeram todas as seleções nacionais, importa salientar que a masculina de +60 foi a melhor no seu grupo nesta segunda fase da prova, uma espécie de consolação, provando que deveria ter estado a lutar pelo 9.º lugar e não pelo 17.º. A estranha derrota frente à Suécia, num par de peripécias ditou essa impossibilidade, mas o lugar de Portugal era a “segunda divisão” deste Mundial.

Resultados completos das finais do Mundial por equipas:

Maria Esther Bueno Cup (Femininos mais de 50 anos): Estados Unidos (cs1)-Espanha (cs4), 2-1.  Ninoska Souto Garcia (Esp.)-Julie Cass (EUA), 6-3, 6-1; Debbie Spence Nasin (EUA)-Rosa Bielsa Hierro (Esp.), 6-7 (4/7), 6-2, 6-1; Debbie Spence Nasin (EUA)/Rosalyn Nideffer (EUA)-Leticia Almiral-Garbayo/ Ninoska Souto Garcia, 6-0, 6-3.

Fred Perry Cup (Masculinos mais de 50 anos): Espanha (cs2)-Itália (cs4), 3-0. Isidro Lledo Boyer (Esp.)-Mauro Colangelo (Ita.), 6-1, 6-1; Francisco Clavet (Esp.)-Antonio Padovani (Ita.), 6-3, 6-1; A Itália prescindiu dos pares.

Maureen Connolly Cup (F +55): Alemanha (cs1)-Holanda (cs4), 2-1. Kerstin Garcia (Ale.)-Carole de Bruin (Hol.), 6-1, 6-1; Liselot Prechtel (Hol.)-Helga Nauck (Ale.), 6-3, 6-4; Kerstin Garcia/Helga Nauck (Ale.)-Carole de Bruin/Liselot Prechtel (Hol.), 6-1, 6-4.

Áustria Cup (M +55): França (cs2)-Espanha (cs1), 2-0. Alain Moracchini (Fra.)-Miguel Puidgevall Lamolla (Esp.), 4-6, 6-3, 6-4; Franck Hervy (Fra.)-Francisco Garcia Lopez (Esp.), 7-5, 7-5. As duas equipas acordaram não jogar pares.

Alice Marble Cup (F +60): Estados Unidos (cs1)-França (cs2), 2-1. Catherine Suire (Fra.)-Carolyn Nichols (EUA), 6-2, 6-2; Diane Barker (EUA)-Betty Michel (Fra.), 6-2, 7-5; Diane Barker/Susan Wright (EUA)-Catherine Suire/Bénédicte Le Grand (Fra.), 4-6, 6-3, 6-3.

Von Cramm Cup (M +60): Estados Unidos (cs1)-Alemanha (cs2), 2-1. Daniel Waldman (EUA)-Manfred Jungnitsch (Ale.), 2-6, 6-3, 7-6 (7/3); Norbert Henn (Ale.)-Mark Vines (EUA), 6-3, 6-3; Mike Tammen/Daniel Waldman (EUA)-Dusan Kulhaj/Norbert Henn, 6-7 (5/7), 6-3, 6-3.

PUB
Artigos relacionados:

Coloque as Farmácias de Serviço no seu site