Director: João Carlos Vieira
Quarta, 27 Março 2019 - Periocidade diária
2018-03-20 17:20
Estoril vence em Grândola com destaque ainda para o Olímpico de Oeiras

A mítica prova do Duatlo de Grândola Sprint em formato contrarrelógio, regressou a Vila Morena, uma prova única no calendário nacional de duatlo, a contar para a Taça de Portugal.

Marcaram presença nesta competição quase duas centenas de participantes, com a chuva a dar tréguas, tornando a prova ainda mais agradável. Esta competição tem um segmento inicial de corrida, seguindo-se o ciclismo de estrada para terminar com a segunda corrida.

O facto de ser em formato contrarrelógio, com as partidas dos atletas individuais a cada 30 segundos, confere-lhe uma competitividade diferente. Significa que o atleta tem que dar o seu melhor em prova, não comparando o seu tempo com o dos outros, já que não tem a certeza da sua posição.

No setor masculino, João Francisco Ferreira, do Estoril Praia Triatlo, sagrou-se o campeão ao terminar a prova em 00:53:29. O vencedor desta competição, ganhou as duas primeiras provas de duatlo da época e foi campeão nacional de duatlo de estrada em 2017.

«Foi a primeira vez que competi cá em Portugal neste formato contrarrelógio e senti-me muito bem, tanto na bicicleta como na corrida», explica o atleta.

A sensação de não saber bem qual o lugar que se ocupa aumenta a motivação dos atletas que dão o seu melhor sem se compararem com os outros. «Foi a dar sempre o meu melhor do principio ao fim, gostei muito», conclui.

Em segundo lugar no pódio ficou Rui Narigueta, do Outsystems Olímpico de Oeiras, que completou a prova em 00:54:43. A terceira posição foi alcançada por Rui Dolores, do Amiciclo Grândola, com o tempo de 00:55:00.

No setor feminino, Foi Katarina Larsson, do Sporting Clube de Portugal, que venceu esta competição com o tempo de 01:03:49. «Gostei muito de participar nesta prova», conta-nos Katarina, que competiu pela primeira vez num duatlo de contrarrelógio.

«O feedback é positivo, dei o melhor na bicicleta que é o meu forte e acabou por correr muito bem, apesar ter caído no parque de transição porque travei a fundo. A queda não teve consequências, levantei-me logo e segui!»

A atleta do Sporting mostrou-se duplamente satisfeita pelo seu desempenho, «até porque esta é a sua primeira prova desde que se lesionou». «O piso estava seco, mesmo no empedrado, e gostei muito formato de prova, não sabia se estava em primeiro ou segundo, é extremamente desafiante», explica Katarina.

Recorde-se que a vencedora do Duatlo de Grândola, entre outros títulos nacionais, foi campeã da europa da distância sprint do seu grupo de idade em 2016 no campeonato da Europa em Lisboa e venceu o Triatlo Longo de Cascais no mesmo ano.

Na segunda posição ficou Liliana Veríssimo, do Núcleo do Sporting da Golegã, com o tempo de 01:03:51, a apenas 2’’ do primeiro lugar, seguindo-se de Pauline Vie, do Alhandra Sporting Club, que terminou a prova em 01:05:44.

O primeiro lugar por clubes em femininos pertenceu ao Sporting Clube de Portugal constituído pelas atletas Katarina Larsson (vencedora absoluta e no seu escalão), com o tempo de 01:03:49, Inês Oliveira, que fez a marca de 01:06:33 e Mariana Talhinhas que terminou a prova em 01:07:59.

O clube a ficar em segundo lugar foi o CNCVG, com Raquel Dias (01:12:01), Patrícia Carrazedo (01:12:34) e Margarida Lopes (01:13:12). O terceiro lugar de clubes femininos foi o Escola Triatlo Santo António Évora composto por Ana Torres (01:12:07), Inês Santos (01:14:01) e Beatriz Saramagaio (01:17:31).

Os clubes masculinos a vencer foram: O Estoril Praia Triatlo com João Ferreira (vencedor da prova) com a marca 00:53:29, Diogo Silva com 00:56:11 e Rafael Domingos com 00:56:45.

Em segundo lugar ficou o Outsystems Olímpico de Oeiras com Rui Narigueta (00:54:43), Nuno Carvalho (00:56:40) e Marco Costa (00:57:45). O CPA fechou o pódio dos clubes com João Bragadeste (00:55:47), Pedro Lomba (00:56:33) e Jorge Duarte (00:56:59).

DL/FTP

PUB
Artigos relacionados:

Coloque as Farmácias de Serviço no seu site